Desabafo: O falecimento da minha mãe.




Olá meninas! Bom hoje eu estava vendo um vídeo da IsaMakeAndrade e é um vídeo que ela postou no inicio desse ano, que se chama: 

Desabafo: Morte da minha mãe, perdas e superação!

Bom esse vídeo me chamou muito atenção pelo fato dela ter perdido a mãe dela quando ela tinha os seus 14 anos, e eu estou passando por esse mesmo problema pois eu perdi a minha mãe esse ano no dia 7 de março as 12:30 ta tarde, e nossa essa foi uma dor, uma cicatriz que não cicatrizou, pois posso dizer que foi a minha pior perda, pois eu já tinha perdido a minha vó mais eu tinha 5 anos de idade e eu me lembro como se fosse hoje lembro de todo o sofrimento da minha vó também mais eu não entendia direito mais eu chorava muito pois erá a minha vó que era tudo pra mim também, mais nunca parei pra pensar que um dia seria a minha mãe porque poxa mãe é mãe né.
Não sei explicar perda e digo que vendo o vídeo da Isa me fez passar um filme de tudo o que aconteceu com a minha mãe, o nome dela era Irani e ela faleceu aos 62 anos.
Vou explicar como foi que eu descobri que ela estava doente.
Bom ela trabalhava em uma pensão, ela era cozinheira, um certo dia a patroa dela ligou para minha casa perguntando pelo o meu pai, e eu disse que ele não estava em casa no momento então ele me perguntou se eu poderia ir lá buscar a minha mãe pois ela estava passando mal eu disse que é claro que eu podia, assim que desliguei o telefone rapidamente eu liguei para o meu pai e falei o que tinha acontecido ele rapidamente saiu do trabalho e fomos lá buscar ela, quando chegamos lá e vi que ela tinha mudado pois o tom da voz da minha mãe sempre foi um tom muito alto mais era dela mesmo, e quando eu a-vi fui logo perguntando o que tinha acontecido com ela e ela falou muito baixo eu estranhei, a patroa dela tinha conversado com o meu pai e pediu para ele leva-la ao um hospital, ele disse que ia leva-la com certeza e no caminho eu e o meu pai carregando ela, fomos direto ao um hospital que era bem perto da onde ela trabalhava, ela foi fez uma bateria de exames não tinha nada de mais com ela (A minha mãe ela fumava e bebia), mais no exame não tinha acusado nada de grave, passou 2 semanas exatas eu estava na antiga rua aonde eu morava com alguns amigos meus, der repente vejo o meu pai subindo com a minha mãe, eu perguntei o que tinha acontecido ele disse que só ia falar em casa, com certeza eu fui pra casa juntamente com eles, chegando em casa meu pai coloca a minha mãe deitada no sofá comecei a falar com ela perguntando o que tinha acontecido ela não conseguia me responder, ai o meu pai foi e disse que a patroa ligou novamente pra minha casa pedindo ele pra ir buscar a minha mãe pois ela estava novamente passando mal e eu notei que ela estava toda torta, passou fomos dormir mais no dia seguinte assim que ela levantou notamos que ela andava toda torta e puxando a perna e o lado direito dela estava todo paralisado, e a voz dela o tom baixou mais ainda, então o meu pai veio e me falou que ela tinha sofrido um principio de AVC (Acidente Vascular Cerebral) nossa eu chorei de mais, pois nunca pensei que ela teria esses tipos de doenças, mais vi que foi um engano né, e como eu disse mais a cima ela continuava a fumar e a beber.
Deus permitiu que ela voltasse ao normal e ela voltou ao trabalho e ficou boa por 5 meses, até da uma recaída e voltar tudo de novo, mais ela escondia isso da gente, ela foi parar no médico sozinha e só fomos saber pois a patroa novamente tinha ligado pra gente o meu pai novamente foi busca-la no hospital.
Nossa posso dizer que foi me dando um aperto no coração mais eu fazia de tudo pra não ficar pensando em coisas piores
Passou mais um tempo, minha mãe ela sempre foi magra, mais ela emagreceu de uma tal forma que só ficou pele e osso e isso já estava nos preocupando e ela nem ligando pra saúde dela pois ela odiava hospitais, um dia ela passou muito mal e levamos ela na UPA24HS (Unidade de Pronto Atendimento) e lá ela ficou internada mais os médicos  nada de falar o que ela tinha e ela ficou na UPA 1 mês e foi transferida para um hospital das mulheres que ficava lá em vilar dos teles (RJ) e lá ela ficou mais 2 meses internada, até receber alta e chegando em casa ela estava ao extremo da magreza, nosso nunca tinha visto a minha mãe naquele estado, o meu pai deixou bem claro que ela não podia nem (Beber e nem fumar) sendo que ela não podia passar um dia sem fumar que ela tava ataque mais ficou 1 mês sem fumar e beber, mais ela não aguentou e o que ela fazia catava binga de cigarro do chão pra fumar e pedia os vizinhos para comprar bebida escondido da gente, (Lá em casa o mal era que o meu pai e dois irmãos meus fumavam) mais o meu pai não fumava perto dela de modo algum, até que um dia ele chegou cedo do trabalho e pegou ela fumando e bebendo, ele falou com ela mais ela não era fácil sempre falava que era com o dinheiro dela e tals.
Passou um tempo começou a da uns sintomas na minha mãe, ela já não comia (Ela já passou uma semana sem comer) só queria saber de beber e fumar, as pernas dela começaram a inchar de uma tal forma que até pensávamos que era por causa da bebida né, posso dizer que as pernas ficaram muito inchadas parecia de bebados e com o peso das pernas ela não conseguia tomar banho sozinha, andar sozinha fazer mais nada sozinha, passando tempos ela nessa situação um certo dia eu fui dormir com ela na cama dela, logo pela manhã eu ouço ela gritando e caindo durinha em cima da cama eu acordei assustada e procurei o meu pai pela casa toda e nada dele, pedi um primo meu que passava o final de semana lá em casa e o meu namorado para ir na rua correndo procurar o meu pai, eles desceram rapidamente em busca do meu pai e quando eu voltei para o quarto dela, vi uma cena horrível, minha mãe vomitando muito sangue, mais uma quantidade muito grande e com os olhos revirados para cima e gritando por ajuda, gente eu comecei a chorar e ao mesmo tempo muito nervosa, foi quando o meu pai chegou e deu um remédio a ela que foi melhorando ao poucos e ela foi voltando ao normal chegando no mesmo dia a tarde eu liguei para a minha tia (Irmã dela) e falei do acontecido ela disse que iria arranjar um carro para leva-la ao hospital mesmo ela não querendo ir, quase anoitecendo ela chega lá em casa com o carro de um amigo dela, então foi um sacrifício fazer ela aceitar a ir para o hospital, pois ela sabia que não estava bem e que precisava de uma acompanhamento médico mais ela lá falando que não ia parecendo uma criança teimosa, mais por fim ela aceitou, uma coisa que esqueci de falar é que ela (usava fralda pois como ela não fazia mais nada sozinha e nem as necessidades dela) fomos para a UPA24HS novamente ela foi atendida por um médico que eu posso dizer que tenho um ódio mortal dele poi acreditem que ele em vez de agilizar a ida dela para um hospital ele só atendeu ela e jogou ela dentro de uma sala aonde ela só podia tomar um medicamento na veia e tomar oxigênio e largou ela ali falou que daqui a meia hora iria voltar e não voltou, ela passou a noite sentada em uma cadeira pois ele preferiu procurar drogas no morro que havia atrás da UPA do que atender a minha mãe direito minha mãe ficou nessa sala de 21:00hs de um domingo e só foi sair dessa sala 20:00hs do dia seguinte que ai ela foi transferida para um quarto onde tinha uma maca decente e lá ela fez novamente uma bateria de exames, então descobrimos que ela tinha problemas renais (rins), anemia profunda quase uma leucemia, enfisema pulmonar pelo fato de fumar bastante, e que estava com principio de câncer no estomago pois ela já não comia mais, ouvir isso de uma médica foi uma das piores coisas do mundo pois me sentir culpada por tudo isso de ruim que estava acontecendo com ela, chorei abeça, não saia de perto da minha mãe de jeito ela deu entrada no hospital no dia 19 de fevereiro ela passou 16 dias no hospital até o dia do falecimento dela, e nesses 16 dias, ela teve que tomar 4 bolsas de sangue pois ela estava muito  fraca e já tinha perdido muito sangue ao longo de doença e sem ninguém saber que ela tinha perdido uma quantidade grande de sangue, no dia 24 de fevereiro fi o aniversario dela, ou melhor dizendo o ultimo aniversário dela com a gente, ela passou em uma cama de hospital e quase que eu não fui vê-la mais cheguei lá era a noite, dei um abraço nela um beijos em sua testa e disse Feliz Aniversário conversamo um pouco, as minha tias foram lá também dar os parabéns a ela e passou essa semana assim eu ficava com a minha mãe na parte do dia e o meu pai como ele trabalha ficava na parte da noite, e assim foi até o dia 5 de março, quando a médica falou que tinha conseguido uma vaga para ela no hospital Carlos Chagas que se eu não me engano fica em marechal hermes no RJ, ficamos felizes né pois ela iria para um lugar com mais recurso e lá também tinha o tratamento certo para o caso dela, no dia 6 de março que caiu em uma quarta feira cheguei como de costume lá cedo e a médica falou que não tinha conseguido a ambulância, e que ela só viria no dia 7 na parte da manhã até então não estava tão preocupada pois sabia que logo logo ela estaria no lugar que ela deveria estar desde o dia 19, mais a tarde meu pai chega, falei o que a médica tinha comentado comigo e falei pra ele que quando chegasse na hora da transferência que erpa para ele me ligar falando a hora e tals, e fui para casa, nesse mesmo dia o meu pai não passou a noite com ela como de costume pois houve um problema pessoal que ele fui correndo pra casa, no dia seguinte eu ligo para o meu pai pra saber a hora que ela seria transferida e nada do meu pai atender o celular, ligava para casa e ele também não estava em casa, passei a manhã toda ligando pra ele, e nada, quando foi mais ou menos 14:00hs ele me liga falando que tinha ido trabalhar e tinha esquecido o celular em casa, e que tinha mais de 50 chamadas do hospital, ele se arrumou e falou que chegando lá oa me ligar pra avisar que horas ia ser a transferência dela, passou um tempo o meu pai me liga e eu perguntei que horas seria, nessa hora o meu pai fala assim (Rafaela não fica calma e não se desespera) nossa comecei a me tremer toda e falei fala pai o que houve (a sua mãe ela faleceunossa nessa hora eu taquei o meu celular longe e comecei a gritar e a chorar desesperadamente querendo vê-la falei pra ele que eu iria para o hospital ele falou que não pois não ia adiantar nada pois ele já estava vendo as documentações e o atestado de óbito dela e ia resolver o enterro dela e eu não parava de chorar em minuto algum, me arrumei mesmo assim e fui para o hopital chegando lá eu vejo o meu pai e o meu tio indo para o cemitério resolver o que tinha que ser resolvido, chegando mais a noite eu tive que ir lá na casa dela escolher uma roupa para poder colocar nela lá no enterro e eu não consegui mexer nas coisinhas dela então pedi um primo meu para pegar pra mim, levei para o meu pai, chegando lá ele deu a roupa para o moço da funerária e quando eu vi o carro indo embora nossa eu queria correr trás do carro gritava no meio da rua e no dia seguinte no enterro eu não queria deixar que fechasse o caixão e foi uma luta e esta sendo até hoje pra mim , pois só tem apenas 3 meses que ela se foi mais a saudade aumenta a cada dia que passa, pois são noites chorando querendo ela de volta, e não podendo te-la, então meninas vocês que tem as suas mães por perto dê o máximo de valor para ela pois ela, pois hoje eu queria que a minha estaria aqui, pois vá tive várias brigas feias com ela no passado e que hoje eu me arrependo amargamente, pois o tanto que eu briguei, que já gritei com ela foi errado, mais hoje DEUS sabe e ela também pois pedi perdão para ela antes dela vir a falecer, e pedi perdão a DEUS por tudo que eu causei de ruim na vida da minha mãe, todo os desgostos que eu fiz ela passar me arrependo de mais disso, mais hoje eu sei que ela esta em um lugar melhor, ao lado de Deus e protegendo toda a nossa família aqui em baixo.

Meninas esse foi o meu desabado com vocês, pois a dor que eu sinto  pela perda da minha mãe ela se ameniza estando aqui e fazendo uma coisa que eu gosto muito que é compartilhar os meus gostos com vocês, e um pouquinho do meu conhecimento em relação ao mundo feminino, e sei que aonde a minha mãe estar ela ta feliz com o que eu estou fazendo, obrigada a vocês que leram esse post até o final eu fico muito agradecida mesmo de coração pois vocês me compreender Obrigada meninas.

Image and video hosting by TinyPic





Postar um comentário